Projeto de Avaliação Institucional Interna

 

 

cpa

 

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL INTERNA

 

 

 

Chapadão do Sul-MS

2015

 

SUMÁRIO

 

  1. INTRODUÇÃO……………………………………………………………………………………………………. 3
  2. HISTÓRICO  INSTITUCIONAL……………………………………………………………………………. 4
  3. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA………………………………………………………………………….. 6

    1. Finalidades da avaliação……………………………………………………………………………….. 6

3.2 Avaliação no processo educacional………………………………………………………………….. 7

  1. HISTÓRICO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FACHASUL………………………. 8
  2. PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA FACHASUL – SINAES…………………………. 9

    1. Princípios norteadores da auto-avaliação………………………………………………………….. 9
    2. Objetivos da auto-avaliação……………………………………………………………………………… 10
    3.  Metodologia a ser utilizada na avaliação…………………………………………………………. 10
    4. Implementação do processo de avaliação………………………………………………………… 11
    5. Recursos humanos, materiais e operacionais…………………………………………………. 12

6 PLANO DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS DA FACHASUL ……………….13

7 RESULTADOS ESPERADOS……………………………………………………………………………. 15

8 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS……………………………………………………………………. 16

 

 

  1. INTRODUÇÃO

 

O processo de Avaliação das Instituições de Ensino Superior Brasileira, atualmente, articulado através do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES, coordenado e supervisionado pela Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior – CONAES, é uma evolução do anterior Sistema de Avaliação adotado pelo Ministério da Educação e Cultura.

No ano de 2004, todas as IES, fossem públicas ou privadas, foram conduzidas a sistematizar ou consolidar seus processos de Avaliação Institucional, segundo uma visão ampla através de questões pertinentes às práticas institucionais e administrativas, relacionamento com a comunidade discente e a sociedade, garantia de infra- estrutura e práticas de gestão necessárias à garantia da Qualidade do ensino oferecido, entre outras.

É neste sentido que a Avaliação Institucional é hoje um desafio para todas as Instituições de Ensino Superior brasileiras, pois diante desta, é possível visualizar, analisar e realizar ações administrativas, técnicas e pedagógicas de maneira contextualizada, crítica e participativa, permitindo perceber suas possibilidades e limitações, bem como apontar  caminhos  para  a  tomada  de  decisões  em  relação  ao  pensar  e  ao agir.

O presente projeto é parte constituinte do processo de reestruturação da Avaliação Institucional da Faculdade de Chapadão do Sul – FACHASUL, onde está contemplado os princípios e objetivos da avaliação, a apresentação do perfil institucional da IES, um breve histórico sobre a prática de avaliação institucional da organização, uma discussão diante de referencial teórico relacionado à temática da avaliação, bem como a metodologia, a sistemática de operacionalização, os recursos, e período de aplicação da avaliação na IES.

 

  1. HISTÓRICO INSTITUCIONAL

 

A Faculdade de Chapadão do Sul (FACHASUL)  é uma instituição de ensino superior privada, que integra o Sistema Federal de Ensino, com sua sede na Rua 28, No. 615, Bairro Centro, na cidade de Chapadão do Sul, Estado de Mato Grosso do Sul.

A entidade mantenedora da FACHASUL é a Sociedade Educacional do Centro-Oeste (SOECO), entidade fundada em 12.12.2000 e credenciada pela Portaria MEC nº 730, de 14.03.2002. A FACHASUL atende, por meio de suas funções de ensino, pesquisa e extensão, 03 municípios em um raio de 100 Km, que abrangem uma população aproximadamente de 80.000 habitantes.

A FACHASUL conta com dois cursos de graduação presenciais, oito cursos presenciais conectados e a distância através de parceria realizada com a UNOPAR  – Universidade Norte do Paraná nos cursos modalidade a distancia – presencial conectado.

A FACHASUL busca estimular em seu estudante a inquietação, a dúvida, à provocação de novas idéias, a procura de métodos mais modernos que propiciem ao interagir na busca de solução das questões que afetam a sociedade. Também, procura dotá-lo de formação profissional adequada, de valores e atitudes, tornando-o cidadão responsável e agente de transformação social.

Tendo por base tais premissas, a FACHASUL, vem atuando de forma estratégica na busca da melhoria do ensino, inovando e adequando seu projeto pedagógico. O Curso de Administração apresentou um elevado grau de aceitação em seu primeiro processo seletivo, representando um alto grau de credibilidade para o curso e para a Instituição.

No ano de 2006, a participação da FACHASUL no ENADE (Exame Nacional do Desempenho dos Estudantes) foi uma das melhores do Estado de Mato Grosso do Sul, obtendo conceito 4 no curso de Administração.

A FACHASUL, mantida pela Sociedade Educacional do Centro Oeste – SOECO, em busca de oferecer e atender a demanda regional, oferece atualmente o curso de Administração, autorizado pela Portaria nº 731 de 14 de março de 2002, publicado no DOU No.  e reconhecido pela Portaria No. 677 de 27 de setembro de 2006, publicado no DOU No.187 de 28/09/2006 e o curso de Ciências Contábeis, autorizado pela Portaria No. 2.580 de 24 de agosto de 2004, publicada no DOU No.165 de 26 de agosto de 2004, reconhecido pela Portaria Ministerial No. 487 de 22/02/2011, publicado no DOU de 23/02/2011. O curso de Administração passou pelo processo de renovação de reconhecimento do curso no mês de fevereiro de 2012, obtendo a nota 3 (três), onde até o presente momento, o processo no sistema e-mec ainda não foi concluído, estando em fase de conclusão.

Chapadão do Sul, Município ainda recente, criado em 1987, ocupa o extremo Nordeste de Mato Grosso do Sul, um dos espaços de chapadões mecanizáveis de Mato Grosso do Sul, ocupados com lavoura, na microrregião definida pelo IBGE como Cassilândia, ou então da  região do Bolsão, como foi chamada no Planejamento Estratégico do Governo de Mato Grosso do Sul- MS-2020, definido em 1999. 

O surgimento do município trouxe contribuições significativas para transformar a antiga região do Bolsão, conhecida por ser a mais atrasada do Estado até os anos 80, em espaço de inovações agrícolas de destaque e pelo desenvolvimento social, que em parte, pode ser avaliado pela curva acessiva do PIB e Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), sendo considerado os mais altos do Estado.

Destaca-se na tradicional e histórica região do Bolsão, não só pela identidade predominantemente sulista de sua população, como pela prática econômica da agricultura[1] tecnificada e de alta produtividade[2] em solos de cerrados e chapadões. Atualmente, além de se destacar na produção agrícola, também apresenta um dos criatórios de gado tecnicamente mais avançados do Estado e mesmo do país.

A região tem a seu favor ainda, a localização estratégica junto às vias de transporte do Estado, ocupando uma posição nodal entre as vias rodoviárias, (federal e estadual), fluvial (afluente do Rio Paraná) e ferroviária (FERRONORTE) e ao terminal ferroviário, levando o interesse de grandes grupos na instalação de usinas bioenergéticas, quais sejam a ETH no município de Costa Rica-MS (60 km), a CERRADINHO, município de Chapadão do Céu-GO (50 km) e IACO instalada em nossa cidade.

Diante das colocações acima, A FACHASUL, ciente de sua responsabilidade social e imbuída do propósito de qualificar profissionais para atender a demanda regional, propõe oferecer cursos de nível superior adequados à necessidade sócioeconômica da região, sendo este o seu objetivo maior, fomentando o desenvolvimento e crescimento municipal e regional, através da habilitação e qualificação profissional.

 

  1. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

 

Segundo o Ministério da Educação (2015) a avaliação é "o conjunto de referências que faz da avaliação um procedimento necessário para definir prioridades e garantir a qualidade do ensino, leva a União a elaborar um sistema de avaliação capaz de diagnosticar e indicar necessidades de controle e correções de rumos na política educacional coordenada pelo MEC, em colaboração com os Estados e Municípios".

Portanto, a necessidade das Instituições de Ensino Superior – IES realizarem pesquisas através de avaliações sistemáticas sobre os cursos que preparam os profissionais para o mercado de trabalho, torna-se de extrema relevância cada vez mais para as IES, onde os estudos de avaliação são imprescindíveis, a fim de que seja possível planejar um ensino de melhor qualidade, que contribua para a formação continuada desses futuros profissionais.

 Assim sendo, a avaliação deve ser um processo contínuo e sistemático. Ela não pode ser esporádica nem improvisada, mas, ao contrário, deve ser constante e planejada. Nessa perspectiva, a avaliação do processo ensino- aprendizagem, como parte de um sistema mais amplo, que é a Avaliação Institucional, deve integrar todos os membros que compõem o Sistema Educacional de Ensino (HAYDT, 1995).

 

  1. Finalidades da avaliação

 

A finalidade da avaliação, nas Instituições de Ensino Superior é comparar seus próprios resultados, por períodos determinados de tempo, a fim de verificar eventuais afastamentos dos objetivos propostos.

Diagnosticar as deficiências e os potenciais do ensino-aprendizagem na instituição, identificando estas através das dez dimensões previstas em lei, Lei nº 10.861 de 14 de abril de 2004 que institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES),  sendo a auto-avaliação um importante instrumento para a tomada de decisão, resultando dele um relatório detalhado e abrangente, onde estará contigo as análises, críticas e sugestões abordadas, torna-se o objetivo principal da avaliação institucional da Faculdade de Chapadão do Sul – FACHASUL.

A Avaliação Institucional tem também como finalidade subsidiar  e acompanhar a execução do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), assegurando os compromissos e resultados propostos e também apoia a análise de todas as informações relativas à instituição e na verificação, in loco, realizada por uma comissão de avaliadores.

As informações apuradas pela Avaliação Institucional subsidiam o Ministério da Educação nas decisões sobre credenciamento e re-credenciamento das instituições de educação superior.

 

  1. Avaliação no processo educacional

 

As avaliações com relação ao desempenho do professor e à formação do aluno, objetos de grande atenção das Instituições de Ensino Superior. Aos estudantes, é um estímulo às suas expectativas. Para os professores, garantem informação a respeito de seu desempenho, como também, contribuem para o seu aperfeiçoamento profissional. Com relação à sociedade em geral, o profissional melhor qualificado contribuirá de forma mais significativa e consistente para o processo de desenvolvimento social.

O enfoque de avaliação orientada para a tomada de decisão enfatiza a participação de todos os agentes do processo, tais como corpos docente, discente e técnico administrativo, além de conselhos deliberativos e assessores, os quais devem decidir o que avaliar e como utilizar os resultados da avaliação. Entendida como um serviço de informação para toda a comunidade sobre as características de seu trabalho e de seus projetos acadêmicos, a avaliação tem como principal vantagem encorajar a comunidade universitária a utilizar a avaliação contínua e sistematicamente, no intuito planejar e implementar projetos e programas (STUFFLEBEAM e WEBSTER, 1991).

A tarefa de avaliar mudanças, reformas e inovações dentro do sistema educacional, é um processo construtivo que tem o propósito de melhorar o seu desenvolvimento e a gestão das inovações, a formação das pessoas implicadas e o crescimento institucional. É, portanto, um processo contínuo; complexo; sistemático e multi-facetado.

Uma das características fundamentais deste novo processo, ou melhor, desta nova proposta de avaliação estabelecida pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) é a integração de diversos instrumentos com base em uma concepção global e o respeito à identidade e à diversidade institucional, levando em conta a realidade e a missão de cada IES.

 

  1. HISTÓRICO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FACHASUL

 

O propósito de desenvolver a prática da avaliação Institucional na FACHASUL, desde sua concepção, evidencia, além do compromisso social, o reconhecimento, por parte de seus fundadores e dirigentes, da avaliação como instrumento de planejamento e re-planejamento que viabiliza contínuas ações de aprimoramento das funções administrativas e acadêmicas.

A avaliação institucional da FACHASUL é realizada desde 2003 diante de estar sempre buscando melhorar a qualidade do ensino a ser oferecido.

De 2003 até dois mil e quatro era utilizado métodos impressos, mais sempre, as questões que eram aplicadas aos discentes, docentes e técnico-administrativos visava o diagnóstico para tomada de decisões de melhorias.

Para avaliação institucional a partir de 2005 criou-se a CPA onde esta é um órgão totalmente independente da direção da IES, ou seja, suas ações, propostas, elaborações de questionários, enfim, todos os procedimentos necessários para a realização de forma correta e transparente da avaliação, são tomados sem nenhuma objeção ou interferência da direção e coordenação de cursos da IES.

Desde então de 2005, os resultados da avaliação institucional vem sempre proporcionando ações por partes da direção e coordenação de cursos que visam a melhoria de qualidade de ensino, infra-estrutura, ensino aprendizagem. Esses resultados podem ser observados através de relatórios que são elaborados no findar de cada período de avaliação institucional.

 

  1. PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA FACHASUL – SINAES

 

A auto-avaliação da FACHASUL, a partir de 2005 adotou os critérios estabelecidos pelo SINAES, em consonância com a Lei n° 10.861 de 14 de abril de 2004, publicado no DOU n° 72, Seção 1, em 15/04/2004, p. 4-5, que institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES em atenção ao artigo 9° da LDB/1996.

A Lei acima estabelece a criação da Comissão Própria de Avaliação – CPA a ser constituída em cada Instituição de Ensino Superior, pública ou privada, em  todo o país. Em seu Artigo 11, define como atribuição da CPA a condução dos processos internos da IES, de sistematização e de prestação das informações solicitadas pelo INEP. A composição da CPA integra representantes de diversos segmentos da comunidade acadêmica e da sociedade civil, devendo ser criada por ato do Dirigente máximo da Instituição e ter atuação autônoma em relação a Conselhos e demais Órgãos Colegiados existentes, devendo integrar o órgão executivo da administração superior da Instituição.

 

  1. Princípios norteadores da auto-avaliação

 

Este projeto buscou ancorar-se em uma concepção de avaliação comprometida com a melhoria da qualidade e da relevância das atividades desta instituição educacional. Esta proposta refere-se à um sistema de liderança condizente por parte da direção da instituição, condizente com:

  • a busca de alto desempenho por parte da instituição;
  • a busca de desenvolvimento individual;
  • a busca de novas iniciativas educacionais;
  • a busca de aprendizagem organizacional;[3]
  • a busca de inovações constantes.

Uma das características fundamentais deste novo processo, ou melhor, desta nova proposta de avaliação estabelecida pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) é a integração de diversos instrumentos com base em uma concepção global e o respeito à identidade e à diversidade institucional, levando em conta a realidade e a missão de cada IES. Baseada nesta característica fundamental, é que a SOECO tem como uma de suas finalidades e objetivos, participar do processo científico, cultural e técnico e de atividades que promovam a difusão do conhecimento, constituindo-se em fator de integração e de promoção da cultura, e com isto, promover a educação com formação de valores para a humanização da Sociedade.

Baseando-se nestas características, é que a nossa Instituição buscou fundamentar-se nas dez dimensões de avaliação institucional elaboradas pelo SINAES, onde fomentamos como objetivo primordial o aperfeiçoamento das nossas atividades acadêmicas, tendo como uma preocupação chave, o desempenho  e rendimentos dos nosso alunos, explicitando a responsabilidade social da educação superior, quanto ao avanço da ciência, à formação da cidadania, valorizando a solidariedade e a cooperação e não a competitividade e o sucesso individual dos acadêmicos.

 

  1. Objetivos da auto-avaliação

 

Geral:

Diagnosticar as deficiências e os potenciais do ensino-aprendizagem na instituição, identificando estas através das dez dimensões previstas em lei, sendo a auto-avaliação um importante instrumento para a tomada de decisão, resultando dele um relatório detalhado e abrangente, onde estará contigo as análises, críticas e sugestões abordadas.

Específicos:

  • Fornecer subsídios para a tomada de decisões sobre as políticas da Instituição;
  • Analisar a eficiência e a relevância social dos programas e projetos sociais Institucionais e sua relevância para a micro região que está inserida;
  • Promover e estimular a implementação de processos avaliativos em todas as instâncias da Instituição, na busca da melhoria da qualidade de ensino;

 

5.3  Metodologia a ser utilizada na avaliação

 

A metodologia utilizada para realização de coleta de dados e análise dos mesmos será feita através do software SEI, um software acadêmico utilizado também nos procedimentos acadêmicos da instituição.

A reformulação das questões aplicadas na avaliação serão analisadas e discutidas em conjunto com toda a comissão – CPA através de reuniões periódicas, onde após serem aprovadas por todos, serão inseridas no sistema SEI para obtenção de coleta de dados.

Serão realizadas palestras para cada sala de aula, explicando o objetivo da avaliação institucional, sua finalidade, as funções da CPA, apresentação de seus membros. Será colocado também na entrada da instituição uma faixa ressaltando a participação de todos na avaliação institucional. A faculdade proporcionará a confecção de camisetas para os membros da CPA, outro método utilizado para divulgar a avaliação institucional e sua importância.

Os questionários ficarão disponíveis para respostas dentro de um período de 20 dias, onde quando o aluno, o docente e o técnico administrativo entrasse no sistema acadêmico, aparecia a opção de responder a avaliação institucional. O questionário é composto de 51 (cinquenta e um) questões dentre essas, questões fechadas e abertas.

Após o término do período de respostas, serão processados os dados no sistema SEI com os resultados em percentuais para cada curso de graduação, docente e discente que serão apresentados e discutidos para direção, coordenação, docentes, discentes e corpo técnico-administrativo.

A aplicação da avaliação institucional da FACHASUL será feita semestralmente, para uma melhor apuração de dados em vista de forma rápida, a aplicação de soluções e ações para melhoria da qualidade do ensino na IES.

Semestralmente, como resultado do processo de avaliação, serão produzidos auto-estudos  e  relatórios  do  processo  de  avaliação,  incluindo  a  análise  do

cumprimento das metas anuais do PDI.

 

  1. Implementação do processo de avaliação

 

A coordenação e a execução da Avaliação na FACHASUL ficarão sob a responsabilidade da Comissão Própria de Avaliação, designada pela Direção Geral da Faculdade e devidamente comunicada ao Ministério de Educação e Cultura.

A prática da avaliação proposta considera os seguintes focos de atuação, conforme diretrizes constantes do SINAES:

EIXO 1 – Planejamento e Avaliação Institucional

– Dimensão 8: Planejamento e Avaliação

EIXO 2 – DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

– Dimensão 1: Missão Institucional

– Dimensão 3: Responsabilidade Social

EIXO 3 – POLÍTICAS ACADÊMICAS

– Dimensão 2: A política para o ensino, pesquisa e extensão

– Dimensão 4: A comunicação com a sociedade

– Dimensão 9: Atendimento ao estudante

EIXO 4 – POLÍTICAS DE GESTÃO

– Dimensão 5: Políticas de Pessoal

– Dimensão 6: Organização e gestão institucional

– Dimensão 10: Sustentabilidade Financeira

EIXO 5 – INFRAESTRUTURA

– Dimensão 7: Infra-estrutura

 

No seu conjunto, este processo possibilitará a construção de um Diagnóstico Institucional com a finalidade de subsidiar tomadas de decisão e implementar ações com vistas ao aprimoramento da gestão acadêmico-administrativa, bem como alcançar os objetivos e metas institucionais estabelecidas e documentadas.

 

  1. Recursos humanos, materiais e operacionais

 

A FACHASUL possui em sua organização um programa de Avaliação Institucional, designado e empossado pela à Direção Geral e constituído por um docente responsável, docentes, discentes, corpo técnico-administrativo e comunidade externa. Possui a utilização de um software para realizar todos os procedimentos referentes á avaliação institucional.

Acredita-se que estes recursos sejam suficientes para subsidiar a CPA (Comissão Própria de Avaliação) em seu trabalho, conforme especificado nesta proposta.

 

6 PLANO DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS DA FACHASUL

 

A concepção que orienta os processos educacionais das Instituições de Ensino Superiores e que, por conseguinte, define seus currículos, tem como foco a formação do jovem e do trabalhador como sujeito ativo, ético e contextualizado, capaz de compreender a realidade e superá-la, a fim de contribuir com as transformações políticas, econômicas, culturais e sociais.

O espaço, onde se dão as relações sociais e econômicas, em que as instituições de educação estão inseridas é dinâmico, se constitui num lócus de constantes transformações e apresenta diversos desafios ao processo educacional. São necessárias estratégias para que as Instituições tenham condições de acompanhar estas transformações, na perspectiva de uma avaliação contínua da formação profissional ofertada, dos seus currículos, do perfil profissional dos egressos e a exigência, cada vez mais crescente, de uma formação profissional continuada.

Neste sentido, os egressos se revelam atores potenciais na articulação com a sociedade, fontes de informações que possibilitam retratar a forma como são percebidas e avaliadas as instituições tanto do ponto de vista do processo educacional, como também do nível de interação que viabilizam. Portanto, é fundamental que a Faculdade de Chapadão do Sul – FACHASUL tenha um canal de comunicação com este segmento.

O acompanhamento de egressos da FACHASUL faz parte da concretização dos objetivos e missão da IES diante das diretrizes do Projeto Pedagógico Institucional e se constitui em uma ação importante à medida que possibilita o levantamento de informações em relação à situação dos ex-alunos no mundo do trabalho e fornece dados imprescindíveis para o planejamento, definição e retro-alimentação das políticas educacionais da instituição.

O objetivo do acompanhamento é analisar a formação profissional e técnica dos alunos dos cursos ofertados pela FACHASUL em relação a 4 (quatro) aspectos: a situação profissional atual, a avaliação quanto ao mercado de trabalho, avaliação do curso/instituição e a formação profissional recebida.

A direção e coordenação dos cursos desenvolvem diversas ações de acompanhamento e disponibiliza as informações em uma base de dados que é constantemente atualizada. Entre as ações e os resultados estão:

  •  a aplicação de questionários estruturados para obtenção de informações sobre o curso realizado (pontos positivos e negativos), a atuação no mercado de trabalho, dificuldades encontradas na profissão, perfil de profissional exigido pelas empresas, interesse em realizar outros cursos técnicos, tecnológicos, de graduação e pós-graduação;
  • o cadastramento de vagas para empregos e estágios em empresas conveniadas (www.fachasul.com.br)
  •  a criação de um banco de currículos de egressos no site da IES para acesso da sociedade.
  • acesso à biblioteca, laboratórios e outros serviços prestados pela Instituição;
  •  o subsídio às coordenações de cursos com a análise de informações repassadas pelos egressos quanto à organização didático-pedagógica, à infra-estrutura e ao corpo docente.

Os procedimentos de obtenção das informações dos egressos sobre a formação recebida na IES é fundamental para o aprimoramento institucional, portanto o questionário será aplicado via e-mail e via telefone, a cada ano subsequente a formação do aluno.

Essa relação de mão-dupla com o egresso torna possível a aproximação entre ex-colegas de turma, a participação em eventos culturais, científicos e outras atividades (convite para proferir palestras, ministrar oficinas e participar em bancas de Trabalho de Conclusão de Curso) e até mesmo convites futuros para se tornar docente da IES. A FACHASUL está sempre de portas abertas para o egresso

 

 

7 RESULTADOS ESPERADOS

 

Uma IES como a FACHASUL justifica sua existência na medida em que oferece à comunidade elevado padrão de ensino, de pesquisa e de extensão nas áreas do saber em que atua.

Na medida em que o processo avaliativo for incorporado à dinâmica da gestão acadêmica e administrativa, melhor se delineará o perfil da Instituição e melhor se distinguirão as vocações para as quais, por tradição, a FACHASUL tende a se inclinar, visando sempre, a busca pela melhoria da qualidade do ensino que oferece a comunidade de Chapadão do Sul e região.

 

8 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

 

ARNAL, J y otros. Investigación Educativa: Fundamentos y metodologias. Barcelona, Editorial Labor, S.A., 1992.

 

BISQUERRA, R. Modelos de investigación educativa: Guia Práctica. Barcelona: Ediciones Narcea, S.A., 1989.

 

BERAZA, M. A. Z. Evaluación orientada al perfeccionamiento. Rev. Española de Pedagogía, ano XLVIII, n. 186. Madri.

 

BORG, W. R & GALL, M.D. Education Research: An Introduction, New York. Longman, 1983.

 

COHEN, L. & MANION, L. Methods in Education. Beckenhatn, Kent, Orar Bretana.: Croom Heim, 1985.

 

FORTES, W.G. Pesquisa Institucional: diagnóstico organizacional para relações públicas. São Paulo: Loyola, 1990.

 

GIMENO SACRISTÁN, J. & PÉREZ GOMEZ, A. I. Comprender y transformar la enseñaza. Madrid: Morata, 1995.

 

HAYDT, R. C. Avaliação do Processo Ensino-Aprendizagem. São Paulo. Editora Ática, 1995.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Avaliação. Disponível pelo site: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&id=13565. Acesso em 10 de Janeiro de 2015.

 

SANT’ANNA, I M. Por que avaliar? Como avaliar? Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

 

SGUISSARDI, V. Avaliação universitária em questão: reforma do estado e da educação superior. Campinas, SP: Educação Contemporânea, 1997.

 

SOBRINHO, J. D.      Avaliação da Educação Superior. São Paulo: Vozes, 2000.

 

STUFFLEBEAM, D.L.L. y SHINKFIELD, A. J. Evaluación sistemática. Guía teórica y práctica. Madrid: Paidós, 1987.

 

 

 


[1] A região do Bolsão foi por onde se deu o primeiro povoamento do Estado, no início do século XIX, pela entrada de pecuaristas mineiros, fator que, por muito tempo, muito contribuiu por sua imagem de região de pecuária tradicional.

 

 

[2] Em 2005, o agricultor de Chapadão do Sul, Francisco Andreto, por exemplo, recebeu das mãos da empresa distribuidora de insumos químicos, The -Chemical Company BASF, o prêmio destaque de produtividade de todo o Estado.

 

 

[3] Aprendizagem organizacional é o processo de aprendizagem contínua em uma organização com o intuito de torná-la adaptável às taxas aceleradas de mudanças que ocorrem atualmente no mundo (FLEURY, 1995, P.5-6).